Já alguma vez se sentiu nauseado após uma longa viagem de carro ou o estômago deslocar-se ao andar de montanha-russa? Se assim for, então você tem faz alguma ideia do que os astronautas experimentam quando se dirigem para o espaço. Cerca de 60 e 80 por cento dos astronautas desenvolvem nausea espacial nos primeiros dias após o lançamento [fonte: Heer and Paloski]. Os sintomas assemelham-se à nausea com o movimento aqui na Terra e incluem dores de cabeça, vertigem, náusea e, em casos extrems, extensões de vómitos.

Para a maioria dos membros do programa espacial, esses sintomas resolvem-se após cerca de três dias no espaço, mas podem retornar a qualquer momento durante a missão, muitas vezes sem aviso prévio. Talvez o que seja mais intrigante é o quanto a náusea espacial pode ser imprevisivel. Mesmo com uma análise cuidadosa e treino antes do lançamento, não há como afirmar se alguém vai experiênciar tal situação. Alguns astronautas com estômagos sensíveis podem ficar bem, enquqnto outros sem história de enjoo podem encontrar-se absorvidos em náuseas e dores de cabeça quando se ajustam às exigências da vida fora da atmosfera terrestre.Embora os investigadores ainda não tenham identificado exatamente o que causa a náusea espacial, isso pode ser causado pelo mesmo desequilibrio interno do ouvido que contribui para o enjoo aqui na Terra. Se o leitor estiver sentado num carro ou em uma nave espacial, haverá uma incompatibilidade entre o que os seus olhos conseguem ver e o que está a sentir no corpo.

Este desajuste por si só é suficiente para deixá-lo doente, mas os astronautas enfrentam um duplo golpe no espaço. (1) O desalinhamento da visão/sensação é ainda pior devido aos efeitos da gravidade zero no sistema sensorial propriocentivo do corpo. Na Terra, este sistema usa os sinais nervosos para dar-lhe um sentido inato da posição dos seus membros e da orientação do seu corpo. (2) Quando está a flutuar acima da atmosfera, esse sistema falha, e você pode surpreender-se ao sentir que os seus braços e pernas não estão exatamente onde pensou que estavam. Pior ainda, é possível frequentemente confundir-se sobre as orientações verticais (para que lado é “cima”).

Toda essa confusão exacerba os sintomas da doença do espaço, o que pode interferir na capacidade dos astronautas de fazer o seu trabalho – lembre-se, eles estão lá para trabalhar. Para estudar as causas e os efeitos da náusea espacial, bem como outras formas de viagens espaciais afetarem o corpo humano, a NASA estabeleceu o Instituto Nacional de Investigação em Biomédica Espacial, em 1997. Algumas investigações neste instituto sugerem que seja possível prevenir ou reduzir a náusea espacial, ao manipular o ouvido interno e o sistema vestibular antes do voo. Por exemplo, ensinar os astronautas a percorrer uma pista de obstáculos ao usar óculos de proteção pode preparar o ouvido interno a adaptar-se à movimentação no espaço [fonte: Mcgill].

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By