Um grupo de investigadores pensam que podem ter descoberto a razão pela qual a Nebulosa do Boomerang, localizada a 5.000 anos-luz da Terra, é tão fria.

Essa enorme nebulosa abrange 3 triliões de quilómetros de ponta a ponta (21.000 vezes a distância da Terra ao Sol). Mas a apenas metade de um grau acima do zero absoluto (-272,5º C ou -458,5º F) é mais frio do que em qualquer outro local que alguma vez vimos.

A razão pode ser o facto de uma pequena estrela ter mergulhado até ao seu centro. Esta nebulosa foi criada por uma estrela gigante vermelha que derrama as suas camadas externas à medida que o seu núcleo colapsa. Anteriormente, tinha sido teorizado que estava a perder massa 100 vezes mais rápido do que estrelas moribundas semelhantes e 100 mil milhões de vezes mais rápido do que o nosso Sol.

Na verdade, a saída de material é cerca de 10 vezes mais rápida do que uma estrela normal conseguiria por sua própria iniciativa. A melhor hipótese é a de que parece ser outra estrela a responsável pela ejeção da matéria.

“A única maneira de expulsar tanta massa a velocidades tão extremas é a energia gravitacional de duas estrelas que interagem, o que explicaria as propriedades intrigantes da saída ultra-fria”, afirmoue em comunicado Raghvendra Sahai, astrónomo do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia.

Sahai é o autor principal num artigo publicado no The Astrophysical Journal descrevendo essas descobertas. Estas foram realizadas através da utilização do ALMA (Atacama Large Milimeter Array), no Chile.

A razão pela qual a Nebulosa do Boomerang tem uma forma semelhante a uma ampulheta é devido à estrela central que dispara pulsos de energia. Estes varrem as regiões internas de poeira e gás, enquanto as regiões externas continuam a expandir-se. O material levou 3.500 anos para alcançar as bordas externas  viajando a 150 quilómetros por segundo (150km/s). É conhecida como uma nebulosa de reflexão, pois o brilho da nebulosa é fornecido pela luz da própria estrela.

Em 1995, quando a Nebulosa do Boomerang foi descoberta pela primeira vez, os astrónomos descobriram que estava realmente a absorver a luz do fundo de microondas cósmicas (WAMP). Esta é a radiação que sobrou do Big Bang e está 2,725 graus acima do zero absoluto, o que significou que a nebulosa deve estar mais fria. A sua temperatura foi medida através da observação do seu espectro de luz e aplicando para tal a lei de Wien.

Embora este seja o local mais frio do espaço, não é a temperatura mais fria alguma vez registada. Essa honra vai para o Laboratório Nacional em Gran Sasso, em Itália, que atingiu os 0.006 Kelvin (-273,144 ºC ou -459.659 ºF).

No entanto, o tempo da Nebulosa do Boomerang como o local mais frio conhecido fora da Terra está contado. Eventualmente, o gigante vermelho irá colapsar sobre o seu próprio núcleo e irá ficar cada vez mais quente, produzindo uma nebulosa planetária onde a poeira e o gás estão separados da estrela.

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By