A utilização de ervas e especiarias pode ser encontrada desde tempos pré-históricos, muitas vezes como formas valiosas de moeda no comércio. Os temperos também têm sido utilizados como propriedade medicinais e como conservantes no armazenamentos de alimentos. Verificou-se que muitas especiarias contêm propriedades anti-microbianas que impedem o crescimento de bactérias.

O leitor provavelmente usa algumas ervas ou especiarias diariamente, mas sabe qual a diferença? Os termos erva e especiarias são muitas vezes utilizados indistintivamente, mas são na verdade dois tipos distintos de temperos, feitos de diferentes partes de plantas e processados de maneiras diferentes. Então, quais são as qualidades que distinguem uma erva de uma especiaria?

Vamos utilizar a canela e os oregãos como exemplos. A canela é uma especiaria em pó que pode ser feita a partir da casca de algumas árvores diferentes que se enquandram no gênero Cinnamomum. Especiarias como a canela são feitas a partir de sementes aromáticas, cascas, flores e raízes de plantas que foram secas e esmagadas. Os oregãos, no entanto, são uma erva derivada de uma planta herbácea. As ervas são folhas, e embora a maioria provenha de plantas herbáceas (plantas que não possuem troncos lenhosos), alguns provêm de plantas lenhosas, como a folha de louro. O manjericão, o alecrim e a salsa são frequentemente encontrados nas cozinhas das famílias como especiaria mas, na verdade, são qualificadas realmente como ervas porque são folhas aromáticas.

Especiarias tendem a possuir uma sabor mais intenso do que as ervas, porque são feitas de porções esmagadas de plantas que são especialmente ricas em óleos essenciais. As ervas podem ser encontradas frescas ou secas, picadas ou inteiras.

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By