Boas notícias para as pessoas que adoram enviar emojis, aquelas pequenas imagens que expressam emoções nos textos e nas redes sociais. Uma nova investigação indica que você – que utiliza emojis – é provávelmente uma agradável pessoa.

A preponderância das opções de emojis abriu um vasto leque de oportunidades para os psicólogos que lhes permite aprofundar o conhecimento à cerca da psique humano, especialmente considerando que mais de 90% das pessoas utilizam emojis nas comunicações digitais. Mais recentemente, um grupo de investigadores da Universidade de Edge Hill, em Inglaterra, avaliou uma conexão entre a utilização de emojis e a personalidade em dois estudo.

O primeiro estudo procurou examinar quão certas eram as considerações psicológicas, como a ansiedade social, a auto-estima e a personalidade influenciam a utilização de emojis em mensagens. Os participantes reportaram quantos emojis usavam e as suas características de personalidade. Depois providenciaram informação sobre as suas contas de Facebook e ficaram 10 minutos a interagirem online com outros participantes. “As análises revelaram que a amabilidade estava positivamente associada à utilização de emojis no Facebook, mas não em textos ou e-mails”, declararam os investigadores na texto publicado.

O segundo estudo requereu aos participantes que efetuassem julgamentos de personalidade com base na observação das páginas de Facebook dos outros membros do estudo. “Descobrimos que a quantidade de emojis sorridentes que as pessoas utilizam no Facebook, está associada ao julgamento de outras pessoas”, afirmou a ciberpsicóloga Linda Kaye, a co-autora de ambos os estudos, em comunicado.

Certamente, emojis possuem uma valiosa função. “Emojis possibilitam comunicar-nos em moldes muito semelhantes à experiência cara-a-cara”, explicou Kaye. “Ou seja, utilizar emojis possilita-nos revelar emoções através de expressões faciais, o que é muito mais fácil do que expressá-las através da escrita”.

Na verdade, a utilização apropriada de emojis pode mesmo magoar alguém. “É certamente este o caso que pessoas reportam ao utilizarem emojis, de que tal utilização diminui consideravelmente a ambiguidade na comunicação escrita.”, adicionou a investigadora.”

emojis

Segundo os investigadores, as comunicações via mensagens, e-mail e redes sociais pode ajudar a sermos mais amáveis nas relações sociais, pois tal meio possibilita a racionalização daquilo que foi escrito ou vai ser escrito. “Assim, tal situação significa que podem existir fundamentos associados à comunicação emocional devido à utilização de emojis, do que em conversas cara-a-cara.”, escreveu a investigadora.

Apesar de parecer contra-intuítivo, os psicólogos são capazes de supor que as pessoas são mais prováveis de julgar o nível de “abertura a experiências” de uma pessoa visitando simplesmente a sua página de Facebook, do que se estivessem a conversar cara-a-cara. Na verdade, em tais experiência eles descrevem essa abertura como “largamente indetetável”. “Juntas estas descobertas ilustram que existe algo claramente único à cerca dos comportamentos virtuais, que os distinguem das nossas tradicionais conceptualizações da comportamento humano,” afirmam os investigadores.

Sejam quais forem as suas preferências de emojis, é importante considerar como está a utilizá-los, especialmente em território professional ou não familiar. “A etiqueta dos emoji é difícil de estabelecer, visto que as pessoas utiliza-nos de diferentes formas e diferentemente com diferentes pessoas, portanto não existe uma convenção social relativamente àquilo que é aceitável ou não”, escreveu Kaye.  “Contudo, é aconselhável que utilize-os apenas com outra pessoa que você conhece pessoalmente”. Se é uma pessoa que conheceu online, talvez seja melhor dispensar os emojis, pelo menos inicialmente, disse a investigadora. “Se as pessoas não respondem da mesma forma [com emojis] talvez seja melhor evitá-los”.

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By