Apesar de a tecnologia ter simplificado a arte da fotografia, o efeito dos olhos vermelhos continua a arruinar algumas das nossas melhores fotos. Neste artigo procuramos expor os motivos pelo qual este curioso fenómeno ocorre e (spoiler) está na altura de deixar de culpar a câmera.

Quando há pouca luz no ambiente, as pupilas dilatam para permitir a passagem da maior quantidade possível de luz. Ao disparar o flash da câmera, a pupila não tem tempo suficiente para contrair-se, deixando que a luz do flash penetre e seja refletida no fundo do olho, numa região designada coroide, que está repleta de vasos sanguíneos.

Este reflexo, sempre que existe pouca luz, provoca o efeito dos olhos vermelhos tão comuns em fotos.

O fundo é tomado pela cor vermelha e, como a pupila ainda está aberta, o reflexo avermelhado fica visível no exato momento em que a câmera capta a imagem. Pela própria ótica do olho, a cor fica mais intensa ao olhar de frente do que de lado.

As câmeras mais modernas evitam este efeito disparando um flash prévio para que as pupilas fechem, alterando a cena original onde a cord vermelha poderia surgir através da pupila, se esta fosse subitamente iluminada.

olhos vermelhos

A intensidade do reflexo varia de pessoa para pessoa, pois as paredes da retina absorvem mais ou menos luz, dependendo do indivíduo. Quem tem os olhos mais claros é mais propenso a sair com os olhos vermelhos, visto que as suas pupilas são mais sensíveis.

Este efeito também acontece em animais, mas neles é mais frequente o fenómeno dos olhos brilhantes. Neste caso, o que a luz reflete é o chamado Tapetum Lucidum, membrana presente em animais noturnos, e que atua como um espelho atrás da retina, aumentando o sinal luminoso para que possam ver melhor no escuro.

olhos brilhantes no escuro

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By