Foram inúmeras as fraudes e histórias que conquistaram as capas dos jornais mais sensacionalistas, mas houve apenas uma pessoas que confirmadamente foi atingida por um meteorito na história da humanidade: a americana Ann Hodges.

A história de Hodges começa quando o relógio apontava meio-dia do dia de 30 de novembro de 1954, quando ela estava a fazer um sesta no seu sofá na cidade de Oak Grove, perto de Sylacauga, Alabama, EUA. Sem aviso, um meteorito do tamanho de uma laranja caiu através do seu teto, fez ricochete no seu rádio de madeira e atingiu-a no quadril. Notavelmente, a única lesão que sofreu foi uma contusão com uma aparência desagradável.

O relato do meteorito de Ann coincidiu com os avistamentos locais de uma luz vermelha brilhante no céu no mesmo dia. Na época estavamos no auge da Guerra Fria, e muitas pessoas da pequena cidade acreditava que a luz poderia ter vindo de um míssil ou de um avião.

Ann Hodges

Ocorrências misteriosas e estranhas que acontencem numa pequena cidade durante uma ambiente beligerante nos EUA, parece uma história saída de algum documentário obscuro sobre extraterrestres. Mas esta história estranha, nas verdade, tem sido documentada em relatórios científicos financiados pela NASA.

“Existe uma maior probabilidade de ser atingido por um tornado, relâmpago e um furacão, tudo ao mesmo tempo”, afirma Michael Reynolds, astrónomo da Florida State College. Mas as histórias do meteorito, identificado como o meteorito Sylacauga, não acabam aqui, como o jornal local Decatur Daily informou em 2006.

Um agricultor afortunado, Júlio Kempis McKinney, deparou-se com outro fragmento do meteorito durante a colheita de lenha a alguns quilómetros de distância. Ele conseguiu vender a sua parte a uma advogado que o comprou em nome do Smithsonian Institution, em Washington.

Ann Hodges não teve sorte com a sua pedra. Uma feroz batalha legal cercou o direito de propriedade da rocha, que se tornou alvo de curiosidade e atenção dos mídia. A dona da casa e oficiais do governo também estavam ansiosos para colocar as mãos sobre o agora famoso e valioso meteorito.

Ann Hodges

Eventualmente, depois de Hodges se cansar de ter vários turistas pendurados do lado de fora de casa e de um um breve período nas mãos da Força Aérea dos Estados Unidos, a pedra foi doada ao Museu de História Natural, em 1956, onde ainda reside hoje, juntamente com outros 2.000 meteoritos.

Este não é o único incidente que está relacionado a um meteorito. Porém, outras histórias não possuem provas suficientes. No ínicio do ano de 2016, foi alegado que um homem indiano foi morto pela queda de um rocha espacial, que teria deixado um buraco no chão. A NASA mais tarde desafiou tal afirmação, alegando que o tamanho da cratera não coincidia.

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By