O seu parceiro ideal é exatamente como você.

Relações amorosas são incrivelmente díficeis, especialmente quando existe muito pressão para encontrar o “verdadeiro amor”. Mas, a verdade é que o problema poderá não ser seu, apenas tem seguido os conselhos errados.

Um grupo de investigadores da Universidade do Kansas e do Colégio de Wellesley, descobriram que a frase “os opostos atraem-se” apenas aplica-se a questões Físicas (como o eletromagnetismo e os ímas). O estudo foi publicado no Journal of Personality and Social Psychologye revelou que as pessoas são mais atraídas por outras que partilham os mesmos valores, interesses e pontos de vista.

A ciência diz que os opostos NÃO se atraem

Os autores do estudo, Angela Bahns, da Universidade de Wellesley e Chris Crandall da Universidade do Kansas, podem ter descoberto o código para a sua complicada vida amorosa.

O estudo contou com a presença de 1,500 casais aleatórios que se encontravam em relações românticas e/ou platónicas.

Os participantes foram questionados relativamente as suas personalidades, atitudes, etc. e descobriu-se que são as suas semelhanças e não as diferenças que são a base das relações amorosas.

Portanto, ter muitos aspectos em comuns com o seu pontencial parceiro é um enorme indicador que são destinados a estar juntos,

Quando os partipantes foram questionados sobre o que é importante numa relação, eles afirmaram que as semelhanças que partilhavam com os parceiros foi o mais importante passo para iniciar uma relação duradoura. “As semelhanças iniciais são fundamentais para a decisão final”, afirmou Bahns.

Outra descoberta interessante do estudo foi o facto de que as pessoas não mudam, mesmo com o passar do anos num relação.

Isto significa que as pessoas têm muito pouca influência social sobre os parceiros quando partilham semelhanças no inicio dos relacionamentos.

Parece que Ilana de Broad City esteve sempre certa.

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By