Certamente já notou como os olhos dos animais são diferentes dos nossos, mas alguma vez se interrogou o motivo para tais variações?

Uma equipa de investigadores encontrou uma conexão entre a forma da pupila de um animal e o seu nicho. Para o estudo, foram recolhidas 214 espécies – todas terrestres – e encontrou-se três formas de pupilas: verticais, horizontais e redondas. Dessa forma, foi possível encontrar um padrão que liga essa parte do olho às atividades de cada grupo.

A publicação, que saiu na edição da revista Science Advances, apontou que as pupilas alongadas verticalmente costumam aparecer em predadores que caçam tanto durante o dia como de noite. A explicação é simples: esse grupo necessita de definir com precisão a distância da presa, e é essa caraterística ótica que facilita essa tarefa.

Pupila horizontal e vertical

Porém, esta regra aplica-se apenas a animais de baixo porte: gatos, por exemplo, possuem pupilas verticais, enquanto grandes felinos, como leões, têm pupilas horizontais.

As pupilas redondas costumam aparecer em animais mais altos e que perseguem as suas presas. Apesar de essa caraterística ajudar a estimar a distância e também na visão panorâmica, os especialistas explicam que a relação desse tipo de pupila com o grupo não é tão frote quanto nos dois outros casos.

Já as pupilas horizontais pertencem, em geral, a presas. Outro traço deste grupo é ter os olhos localizados ao lado da cabeça, possibilitando uma visão panorâmica e facilitando a percepção de predadores ao seu redor.

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By