Os pequenos tremores ou espasmos que por vezes ocorrem nos olhos são normais e ocorrem em muitas pessoas. Às vezes nem chegam a incomodar, mas há casos em que quem sofre com essa pequena reação das pálpebras fica muito incomodado. O pior é que tais espamos são um sintoma involuntário, logo não há muitas providências que podem ser tomadas para corrigi-lo.

No entanto, normalmente, não leva muito tempo para que essa situação passe. Em algumas ocasiões, basta esfregar os olhos, enquanto noutros casos pode demorar alguns minutos ou até algumas semanas. Determinados quadros clínicos exigem a aplicação de botox como uma solução. Esta substância interrompe a conexão entre músculos e nervos e, consequentemente, cessa o problema, pelo menos temporariamente.

De qualquer forma, é importante entender que nem sempre essa reação é simples, então pode significar algo mais complexo. Veja a seguir como isso pode ocorrer.

O que causa os espasmos

Uma das coisas que os cientistas acreditam que pode ser responsável por causar espasmos nas pálpebras é o excesso de cafeína, conforme revelado por um estudo da Universidade de York, no Canadá.

No entanto, não se sabe os mecanismos exatos que influenciam essa patologia, apenas foi constatado que a substância em questão contém estimulantes como a serotonina e a noradrenalina. De acordo com o Dr. Wayne Cornblath, professor de oftalmologia do Centro de Olhos Kellogg, na Universidade de Michigan, a cafeína aumenta a reatividade entre músculos e nervos, e isso pode explicar a relação com os espasmos.

Stresse e pouco tempo de sono também são factores que podem estar ligados aos pequenos tremores no olho. A representante da Academia Americana de Oftalmologia, Dra. Rebecca Taylor, explica que, quando a pessoa está numa situação como essa, o corpo produz mais adrenalina, o que eleva os níveis de exaltação muscular e pode provocar diversos espasmos como os que acontecem nas pálpebras.

Já as poucas horas dormidas aparentemente também podem ocasionar essa condição, mas os motivos são menos esclarecidos do que pelos outros factores. “Nós sabemos que se houver mais tempo de sono, pode ajudar, mas não sabemos a razão. Nós ouvimos muito sobre desidratação e baixo nível de potássio, mas há pouca coisa que o evidencie.”, explicou o Dr. Cornblath.

Quando é que se deve preocupar?

Não é uma situação comum, mas é necessário prestar atenção para o caso de os espasmos se espalharem por outras regiões da face ou do pescoço. A Dra. Taylor ressalta que esse tipo de sintoma requer a visita a um médico para acompanhamento do problema, já que pode se tratar de uma outra patologia, conhecida como blefaroespasmo, na qual a pálpebra inteira se fecha ou pisca de forma involuntária. Como isso pode ter diversas explicações, procurar ajuda profissional é o mais indicado para saber o que está a ocorrer.

Fonte: Time

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By