O ano começa, e incontáveis são as pessoas que desejaram perder peso no decorrer deste ano. Dietas, planos de ginásio, caminhadas, receitas milagrosas, alimentos integrais, frutas, verduras, promessa: para eliminar uns quilinhos indesejados, parece valer tudo.

E se está num clima de “no pain, no gain”, surge uma belíssima notícia: talvez para parar de ter vontade de comer guloseimas como bolo de chocolate você só precisa comer bolo de chocolate.

Não, não leu errado. Uma investigação realizada pela University of Central Florida e divulgada pelo Metro revelou algo surpreendente e que pode dar à sua dieta de 2016 um gosto muito melhor: comer diante do espelho alimentos vilões de quem quer perder peso pode fazer com que, no futuro, deixe de ter vontade de comer exageradamente esse tipo de guloseima, sabia?

Para chegar a essa conclusão, dois grupos de universitários aceitaram participar em testes que incluíam a difícil missão de ingerir uma especiaria típica de quem aprecia a união entre carboidrato, açúcar e gordura. Qual a condição? Metade dos 185 voluntários comeria em frente ao espelho enquanto a outra metade num ambiente livre dos próprios reflexos.

Cada estudante escolheu entre uma fatia de bolo de chocolate e uma taça de salada de frutas. Depois da decisão, responderam a perguntas sobre os alimentos e as suas preferências, dizendo também se gostariam ou não de comê-los mais uma vez.

No resultado, o milagre: aqueles universitários que comeram bolo de chocolate em frente ao espelho foram os que menos disseram que estavam com vontade de comer o mesmo alimento novamente. Já os que comeram salada de fruta continuaram dispostos a comer mais um pouco.

A explicação para o fenómeno milagroso: “ninguem gosta de se ver a comer produtos não saudáveis porque isso não corresponde aos padrões de uma alimentação saudável”, disse o autor do estudo, Ata Jami, ao The Washington Post.

Segundo este autor, quando nos visualizamos a  comer alguma coisa que sabemos que não tem valor nutricional e que contribui para o ganho de peso, sentimo-nos desconfortáveis, mesmo que tenhamos dificuldades para entender a origem do desconforto – nesse caso, de acordo com Jami, acabamos por considerar que existe algo de muito errado com a comida e não consideramos comer uma segunda dose.

Fonte: Metro, WashingtonPost

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By