Tem conhecimento daquela ideia de que as mulheres não veem de todo pornografia? Bem… pelos vistos é só mesmo uma ideia e, como sabe, ideias nem sempre representam a realidade. Para comprovar esta afirmação, uma investigação conduzida por Marie Claire que resolveu ouvir o sexo feminino para compreender melhor esta questão.

O estudo, que é parte de um documentário produzido pela fotógrafa Amanda de Cadenet, ouviu 3 mil mulheres que revelaram os seus hábitos em relação à pornografia: 90% destas assistem a filmes adultos online, e dois terços de todas assistem aos filmes também nos seus smartphones.

A fotógrafa explica que o seu projeto procura mudar a concepção errada de que mulher não gosta de sexo e/ou de pornografia. Só para oleitor ter ideia, 31% das mulheres afirmaram assistir a filmes adultos semanalmente e 30% delas disseram que veem pornografia algumas vezes por mês. Em relação ao tipo de filme a que mais assistem, acompanhe abaixo a relação entre estilo e audiência:

  •         Heterossexual: 63%
  •         Lésbico: 44%
  •         Um pouco de tudo: 31%
  •         Hardcore: 28%
  •         Softcore: 26%
  •         Gay masculino: 13%
  •         Outros: Não listado aqui: 13%

50 sombras de grey

Obviamente, esses números são diferentes quando comparamos os hábitos femininos com os masculinos. De acordo com uma investigação feita pela Cosmopolitan em 2014, 32,5% dos homens dizem assistir a filmes pornográficos diariamente. Esse índice cai para 3,8% quando quem responde são as mulheres.

As jovens preferem aproveitar esse tipo de conteúdo enquanto estão sozinhas – dois terços delas dizem que não o fazem junto dos seus parceiros. Ainda assim, mais da metade das entrevistadas acredita que a pornografia tem um papel positivo nas suas vidas sexuais.

Das mulheres que participaram da entrevista, 70% tinham idades entre 18 e 34 anos e mais da metade delas estava num relacionamento sério. Para Cadenet, as mulheres estão a usar a pornografia para descobrirem o que querem e como podem ter prazer.

Vale sempre lembrar que a produção de conteúdo pornográfico para o público feminino tem crescido cada vez mais. Com enredos mais criativos, diálogos mais intensos e ações menos mecânicas, filmes como os da diretora Erika Lust agradam cada vez mais as mulheres.

Fonte: The Independent

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By