A ação do homem é responsável por inúmeros problemas no planeta. Pois bem, desta vez já desflorestaram quase metade das árvores existentes no planeta desde o início da sua existência neste mundo. Além disso, os números anuais que envolvem essa questão são assustadores e foram revelados por um estudo publicado no jornal Nature.

O site Gizmodo realizou uma análise ao estudo e revelou algumas das conclusões obtidas, além de números finais estimados. Entre os resultados, o principal demonstra que a quantidade de árvores no planeta reduziu 46% desde o início da existência do homem. Ainda assim, há aproximadamente 3,04 triliões de árvores na Terra, o que resulta em 422 árvores por pessoa. O estudo também concluiu que 15,3 mil milhões de árvores são retiradas do planeta todos os anos, sendo que a perda maior ocorre nos trópicos. O problema é que essa região é justamente a que detém a maior parte das florestas da Terra, com cerca de 1,39 trilião de árvores existentes.

Com os programas de reflorestamento em algumas regiões temperadas, o prejuízo causado pelas desflorestações reduziu para 10 mil milhões de árvores por ano no mundo. Em entrevista ao site The Guardian, o autor principal do estudo, Thomas Crowther, da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, afirma que o impacto humano observado é “astronómico”, tendo em vista que são mais de três triliões de árvores que foram retiradas da Terra.

O investigador também destacou que é facil perceber as consequências deste impacto para o clima e para a nossa própria saúde com a retirada de metade das árvores do planeta. Logo podemos imaginar o quanto pode ser prejudicial com os prováveis aumentos desses números.

“Eu não esperava que a atividade humana fosse responsável pelo controlo maciço da densidade de árvores por todos os tipos de habitat do planeta. É o maior regulador do número de árvores em quase toda a Terra. Isso ressalta o quão grande é o impacto dos humanos sobre a Terra em uma escala global”, enfatizou Crowther. Além disso, ele menciona que outro ponto preocupante é observar esse estudo e calcular o tamanho do esforço que precisaríamos para restaurar a vida florestal do mundo.

Há uma boa notícia nos dados levantados pelo estudo: o número de árvores existentes no planeta ainda é sete vezes maior do que a estimativa anterior previa. De qualquer forma, soa o alerta, pois as árvores são extremamente importantes para os nossos ecossistemas. Além de nos proporcionar comida e matéria-prima, também limpam as nossas águas e mantêm os solos férteis.

Outro benefício que oferecem ao planeta é justamente o controlo dos efeitos da alteração climática, absorvendo uma parcela enorme das emissões de carbono todos os anos. Logo, um planeta sem árvores será um planeta naturalmente incapaz de reter carbono e manter a estabilidade do clima; consequentemente, afetará a nossa própria segurança.

O estudo

A conclusão foi alcançada com base em modelos de um quilómetro quadrado que previam a densidade de árvores do planeta. O estudo foi conduzido por todos os continentes, exceto a Antártida, coletando mais de 429,7 mil medições de densidade de árvores. As informações eram provenientes do solo e foram combinadas com dados oriundos de satélite, sobre o clima, topografia e o uso da terra por humanos.

Fonte: The Guardian, Nature, Gizmodo

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By