A agência espacial norte-americana,NASA, acaba de fazer um grande anúncio para a imprensa internacional e para os cientistas espalhados em todo o mundo. A Agência Espacial convocou uma conferência de imprensa para revelar o que vinha a ser esperado como o “mistério de Marte resolvido”.

As expectativas eram de que a NASA publicaria os dados sobre a presença de água na superfície de Marte durante períodos já definidos do ano — havendo também algumas revelações sobre a formação geológica do Planeta Vermelho.  Confira quais foram os cientistas que deram os seus depoimentos durante a apresentação programada pela NASA:

  • Jim Green: diretor de ciência planetária da NASA
  • Michael Meyer: cientista-chefe no programa de Exploração de Marte
  • Lujendra Ojha: cientista do Instituto de Tecnologia de Atlanta
  • Mery Beth Wilhelm: cientista da NASA e do Instituto de Tecnologia da Geórgia
  • Alfred McWewn: investigador principal no HiRiSE

As grandes revelações

Em abril, a NASA confirmou ter encontrado evidências de que haveria água e sal na superfície de Marte — sendo que isso permitiria uma interação mais complexa dos elementos no planeta, pois os sais conseguem modificar as propriedades de evaporação, por exemplo.

Agora, a NASA afirma que conseguiu encontrar evidências de que a própria água flui no Planeta Vermelho — não apenas as substâncias salinas. A Agência revela que é possível afirmar que a água na superfície de Marte flui periodicamente. Os sais já mencionados são cloratos e percloratos, que possuem a capacidade de reter a água e evitar que ela seja evaporada tão rapidamente.

Em algumas épocas do ano, isso poderia gerar ribeiras de salmoura capazes de fazer com que a água realmente flua — não com a mesma velocidade de um rio terrestre, é claro. De acordo com os investigadores, se a água de Marte não for corrente, ela é “pelo menos gotejante”.

O que significa?

O estudo da NASA acaba de ser publicado na Nature Geosciences e mostra o que muitos já devem estar a esperar. A comprovação de que existe água em Marte faz com que aumentem as chances de se encontrar vida no Planeta Vermelho. Com as condições atmosféricas que podemos observar atualmente, é bem provável que existam microrganismos a proliferar nas superfícies de Marte.

Lujendra Ojha foi bem enfático na publicação: “Ter certeza de que existe água líquida na superfície do planeta  é essencial para a compreensão do ciclo hidrológico e para o potencial da existência de vida em Marte”. Não estamos a falar de vida como a terrestre, mas formas adaptadas à alta concentração de sais são uma grande possibilidade.

Fonte: Nasa, The Guardian, Daily Mail

Comentários

You need to login or register to bookmark/favorite this content.

Bookmarked By